Traficantes cobram pedágio para entrega de gás na Região Oceânica de Niterói

Empresa parou de realizar atendimento em domicílio

Enviado Direto da Redação
>> Policiais da 81ªDP(Itaipu) tentam identificar integrantes da quadrilha que cobra o ‘pedágio’

>> Policiais da 81ªDP(Itaipu) tentam identificar integrantes da quadrilha que cobra o ‘pedágio’

Foto: Sandro Nascimento



Policiais da 81ªDP (Itaipu) investigam a informação de que traficantes do Engenho do Mato, na Região Oceânica de Niterói, estariam cobrando ‘pedágio’ para que a empresa Liquigás faça entregas de gás na região.


A extorsão teria começado em outubro, quando criminosos do Comando Vermelho (CV) passaram a exigir R$ 3,5 mil por mês para que a distribuidora de gás fizesse entregas no Engenho do Mato, Várzea das Moças, Itacoatiara, Itaipu, Piratininga, Camboinhas e Cafubá. A empresa não aceitou a imposição dos bandidos e desde então parou de realizar o atendimento em domicílio.


Em dezembro, a Liquigás chegou a voltar a fazer as entregas, mas devido a violência, mais uma vez, a empresa interrompeu o serviço e fez um comunicado oficial em sua página na rede social, no último sábado, avisando aos seus clientes.


“A insegurança chegou ao extremo e não vamos arriscar a vida de trabalhadores, chefes de família”, relatava um trecho da nota.


O comunicado informava também que dois funcionários haviam sido sequestrados pelos bandidos. No entanto, a delegacia de Itaipu esclareceu que não houve restrição da liberdade e sim, roubo.


De acordo com a polícia, no último dia 3, um dos motoristas da empresa foi abordado por dois traficantes na Rua 53, no Engenho do Mato, que anunciaram o assalto e levaram o caminhão e a vítima para a Rua 42. No local, eles liberaram o funcionário com todos os seus pertences, mas ficaram com a carga de gás. Momentos depois, um menor de 17 anos foi capturado por policiais do 12ºBPM (Niterói) e reconhecido como o autor do roubo. A carga também foi recuperada.


“Desde que surgiu a primeira denúncia de extorsão, começamos a apuração e fizemos diligências na região. Agora, com o novo fato, o nosso trabalho continua. Estamos trabalhando para identificar o comparsa do adolescente que abordou o motorista e quem são os outros criminosos que estão envolvidos na extorsão”, esclareceu um inspetor.



Veja também