Delegada faz novo pedido de prisão de agressor que incendiou casa da ex-esposa

Mulher é ameaçada de morte e vive escondida há dois meses

Enviado Direto da Redação
>> O pintor de paredes é acusado de ter incendiado residência

>> O pintor de paredes é acusado de ter incendiado residência

Foto: Filipe Aguiar


A delegada titular da DEAM São Gonçalo, Débora Rodrigues, fez um novo pedido de prisão do ex-marido da auxiliar de cozinha X., de 37 anos, que vive escondida dele há quase dois meses, devido a constantes ameaças de morte.


De acordo com a delegada, o agressor, que trabalha como pintor de paredes, será acusado por incêndio, vias de fato - por ter agredido a vítima - e ameaça.


“Ele pode ser punido com cinco a 10 anos de prisão. Somente pelo incêndio de casas que eram habitadas, a lei prevê quatro a oito anos. O novo pedido de prisão preventiva é amparado pelo fato que ele não colabora com a investigação, fugindo da aplicação da lei. Não compareceu à delegacia quando intimidado, tampouco apresenta um paradeiro fixo”, explicou a delegada.


A vítima foi encaminhada para atendimento jurídico na Defensoria Pública e assistência psicológica no Centro Especial de Orientação à Mulher (CEOM). Enquanto os procedimentos legais se desenrolam, a auxiliar de cozinha busca reorganizar a vida.


“Consegui alugar uma casa para que minha mãe não precise mais morar de favor. Mas sei que só terei paz quando ele estiver atrás das grades. Somente assim eu saberei que minha família está segura”, desabafou X.


Leia mais:


"As ameaças se concretizaram", desabafa mulher com medo de ser morta pelo ex-marido



Veja também