Mapa de barricadas do tráfico em São Gonçalo já tem mais de mil visualizações

Plataforma recebeu acessos de todo o Brasil

Enviado Direto da Redação
>> Principais acessos vieram da região, mas houve consultas no Rio, no Distrito Federal, Pernambuco e Bahia e Minas

>> Principais acessos vieram da região, mas houve consultas no Rio, no Distrito Federal, Pernambuco e Bahia e Minas

Foto: Reprodução


Apenas um dia após a disponibilização do mapa digital “Tem Barricada Aí?” na internet, a plataforma já recebeu mais de mil visualizações. É possível navegar pelo computador ou pelo celular por meio do aplicativo Google Maps.


Os principais acessos no mapa foram feitos de São Gonçalo, Niterói e Itaboraí. Outras consultas foram realizadas do Rio de Janeiro, de municípios da Região dos Lagos, de Nilópolis, e dos estados do Distrito Federal, Pernambuco, Bahia e Minas Gerais.


Por meio do serviço, é possível traçar uma rota e verificar a existência de barricadas no trajeto. A base de dados pode ajudar motoristas e pedestres a evitar trechos bloqueados e encontrar percursos alternativos. Todas as informações inseridas no mapa são oriundas do canal exclusivo “Tem Barricada Aí?”, que funciona pelo whatsapp há quase dois meses. A partir de agora, os relatos enviados serão atualizados semanalmente no mapa digital. O cidadão pode continuar enviar informações, publicadas na edição impressa diária de OSG. Ontem, oito bairros foram citados, entre eles Neves e Zé Garoto.


Há pelo menos seis meses uma barricada no final da Rua Silva Jardim, em Neves, dificulta o acesso ao Morro da Alegria. Para transitar ali, é preciso retirar um sofá, uma geladeira e pedaços de madeira que interditam a via. Moradores da Travessa Miguel Pinto, no Zé Garoto, contam que a barricada é composta por uma geladeira cheia de entulho. O obstáculo atrapalha o dia a dia da região há mais de um mês.


“Os policiais já entraram a pé, mas continuou tudo lá. Fizemos várias denúncias pelo 190, e até agora nada foi feito. É um desrespeito com o cidadão que precisa parar o carro e tirar a barricada para prosseguir”, explicou um denunciante.


O canal “Tem Barricada Aí?” já recebeu centenas de denúncias em dois meses de funcionamento, o que representa cerca de seis relatos diários. O canal tem sigilo garantido. Para denunciar, basta enviar mensagens para o WhatsApp (21) 97220-6423, informando qual é o bairro onde está a barricada, qual a rua, um ponto de referência (comércio, escola, igreja), há quanto tempo foi colocada, qual o material utilizado e quais transtornos tem causado, como o bloqueio do caminhão de lixo, estacionamento ou serviço de entregas.


AGORA NOTÍCIAS - O webprograma vai ao ar de segunda à sexta, às 13h30, no facebook de O SÃO GONÇALO, com os principais acontecimentos dos municípios da região.


Pesquisadora Sara Lemos explica a importância de mapeamentos colaborativos


Mestranda em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a gonçalense Sara Lemos participou da edição desta quarta-feira do AGORA Notícias para falar sobre a pesquisa "A produção de informação geográfica e seus desdobramentos em novas formas de cartografar". Segundo a pesquisadora, mapas colaborativos como o "Tem Barricada Aí?" são importantes por darem visibilidade a um problema e permitirem que os cidadãos afetados contem sobre o que têm enfrentado.


"Na graduação, eu citei outros dois mapeamentos: o 'Chega de Fiufiu!', que denuncia os assédios sofridos por mulheres em vias públicas, e o 'Onde Fui Assaltado', que levanta locais com incidência de roubos e furtos de rua. Agora para o Mestrado me aprofundei mais em entender o que motiva as pessoas a fazer um mapeamento de forma voluntária e utilizando as redes sociais. No caso das barricadas, fornecer um número de whatsapp torna a participação mais acessível. Isso tem muito a ver com o que estudamos sobre essas novas formas de cartografar. O consumidor deixa de apenas receber, para também produzir", avaliou. 


Sara acredita que o mapa pode facilitar o cotidiano de quem mora na região.


"O ideal é que as informações sejam utilizadas pelos órgãos de segurança para formular políticas públicas que devolvam o direito de ir e vir dos cidadãos. Porém, enquanto o problema não é solucionado, a plataforma se torna uma ferramenta para contornar parte do desafio. O Google Maps é amplamente utilizado para verificar um engarrafamento ou as condições de uma rua específica. Agora será possível tentar formular uma rota livre de obstáculos", concluiu.


Como visualizar e usar o mapa do ‘Tem Barricada Aí?’


Pelo computador e pelo celular, o morador que quiser acompanhar o mapa das barricadas precisa apenas acessar o link www.bit.do/tem-barricada-ai-osg em um navegador de internet como Google Chrome, Mozilla Firefox e Safari para ser direcionado à página.


Para facilitar o acesso, o mapa de barricadas também ficará disponível em QR Code, um código de barras que pode ser escaneado rapidamente na palma da mão. 


Ficou com alguma dúvida na hora de usar o mapa? Acesse fb.com/osaogoncalo e veja o vídeo com o tutorial completo da plataforma.



Veja também