Polícia investiga guerra entre traficantes e bicheiros em São Gonçalo

Disputa pode ter motivado a morte de um jovem

Enviado Direto da Redação
De acordo com investigações, traficantes liderados por Schumaker estariam em guerra com bicheiros

De acordo com investigações, traficantes liderados por Schumaker estariam em guerra com bicheiros

Foto: Arquivo/Sandro Nascimento

A Polícia está investigando uma possível guerra entre bicheiros e traficantes do Jardim Catarina, em São Gonçalo. A disputa pode ter sido a responsável pela morte de um jovem, na tarde de terça-feira, suspeito de ser um dos soldados de Schumaker Antonácio do Rosário, o Piloto, líder da venda de drogas nas favelas da Guaxa, Baixadinha, Pica Pau e Final Feliz, na localidade conhecida como Jardim Catarina Velho.


De acordo com as investigações, a ‘guerra’ teria começado após Schumaker impor valores e começar a cobrar taxas de comerciantes para permitir a exploração de máquinas caça-níqueis em bares de comunidades em que atua.


Em audios que estão circulando nas redes sociais, homens fazem ameaças aos traficantes, caso eles não mudem de idéia em relação às cobranças.


“Ou eles vão recuar ou vão tomar bala todo dia. Não vou sossegar enquanto não matar uns lá. É questão de honra. A ordem é essa, todo dia tentar derrubar um lá. Já levantamos uns moleques que fecham ali, já sabemos nomes, estamos com fotos”, diz uma das gravações que já está sendo analisada pela polícia.


Na tarde da última terça-feira, um jovem, pode ter sido uma vítima dessa disputa. Ocupantes de um carro preto passaram atirando pela Rua Marcos da Costa, na favela da 39, e o rapaz foi baleado e não resistiu. O corpo dele foi deixado por ocupantes de um Doblô, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Santa Luzia. Em seguida, comerciantes da região fecharam as portas. A Divisão de Homicídios está investigando a morte.


Em outro áudio, o ameaçador, que seria um contraventor, faz uma ameaça à Schumaker. “Vai ser bala todo dia até esse moleque mudar o método operante dele”, disse.

Veja também