Trio acusado de matar cantora é condenado por latrocínio em Saquarema

Crime aconteceu em janeiro do ano passado

Enviado Direto da Redação
>> A cantora  Loalwa Braz Vieira foi espancada e incendiada viva no carro pelos três criminosos

>> A cantora Loalwa Braz Vieira foi espancada e incendiada viva no carro pelos três criminosos

Foto: Divulgação


Os três homens acusados de matar a cantora Loalwa Braz Vieira Machado Ramos, 63, do grupo Kaoma, foram condenados pelo crime de latrocínio, roubo seguido de morte. A decisão dada pela 1ª Vara de Saquarema cabe recurso, mas respondendo em regime fechado.


Além de latrocínio, Wallace de Paula Vieira foi condenado também pelo crime de “incêndio a casa habitada”. Ele era caseiro do estabelecimento da vítima e foi condenado a 37 anos de prisão. Gabriel Ferreira dos Santos deve cumprir 28 anos e Lucas Silva de Lima, 22 anos. Todos foram levados para a Cadeia Pública José Frederico Marques, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.


O caso aconteceu em janeiro do ano passado, quando o corpo de Loalwa, cantora do grupo que fez sucesso nos anos 1990 foi encontrado carbonizado dentro de um carro, na Estrada da Barreira, em Bacaxá, distrito de Saquarema.


Em decisão da Justiça, consta ainda que após os acusados arrombarem a porta do quarto, eles agrediram a cantora fortemente com pauladas, golpes de faca, chutes, socos, e a enforcavam, enquanto a mesma gritava por socorro.


Ainda de acordo com a investigação, os homens a colocaram no veículo ainda viva, com a cabeça em contato com um botijão de gás, e atearam fogo. O trio levou jóias, dinheiro, celular e até a imagem de uma santa.



Veja também