Vereador cria projetos para estimular arrecadação em São Gonçalo

José Carlos está em seu 3° Mandato

Enviado Direto da Redação
Vicente acha que projeto para facilitar pagamento de IPTU poderia contribuir para arrecadação

Vicente acha que projeto para facilitar pagamento de IPTU poderia contribuir para arrecadação

Foto: Sandro Nascimento

O vereador gonçalense José Carlos Vicente, no cumprimento do terceiro mandato na Câmara Municipal, acredita que a baixa arrecadação seja o maior desafio para o atual prefeito, José Luiz Nanci. Líder do governo Legislativo, ele tem como prioridade a apresentação de propostas para ajudar a reverter o quadro.


“Maricá recebeu até agosto deste ano, mais de R$500 milhões em royalties de petróleo. Niterói ganhou algo próximo a esse valor, enquanto São Gonçalo não alcançou 15% desse total. E temos uma população duas vezes maior do que a niteroiense. Somos o município mais pobre do Estado por renda per capita, isto é, se dividimos o que ganhamos pela quantidade de pessoas”, exemplifica o vereador do Livres, antigo PSL.


Dado esse cenário, Vicente explica que a proposta de facilitar o pagamento de IPTU para uso capião poderia, além de contribuir para uma melhor arrecadação, conceder o direito à moradia a muitos gonçalenses. “São Gonçalo bate recorde negativo quando o assunto é inadimplência. Uma alternativa para reduzir esses números é a legalização de casas de posse. O cidadão vai quitar o IPTU atrasado, seja à vista ou parcelado, e ganhar o direito de propriedade sobre o imóvel. Caso o dono seja descoberto e reivindique o terreno, ele terá que indenizar o morador com o valor pago junto à Prefeitura”, propõe Vicente.


Ciente da crise na iluminação pública que a cidade enfrenta, o líder do governo na Câmara garante que, num prazo de 90 dias, o problema estará sanado.


“Não adianta o prefeito fazer uma licitação de forma errada, para que o Ministério Público venha cobrá-lo futuramente, e a população, mais uma vez, padeça com u serviço precário ou interrompido. Acredito que dentro de dois a três meses, o processo esteja concluído e que, no início do próximo ano, São Gonçalo esteja iluminada novamente”, projeta Vicente.

Veja também