Nova esperança para a Fazenda Colubandê

Enviado Direto da Redação

Foto: Divulgação


Fazer um edital de licitação para recuperar e restaurar da Fazenda Colubandê, em São Gonçalo, através da Lei de Incentivo à Cultura. Este foi o tema discutido entre o presidente da Câmara Municipal da cidade, vereador Diney Marins, e o secretário estadual de Cultura, André Lazaroni, durante encontro na sede do Poder Legislativo durante a semana.



O local está abandonado, desde 2012, quando o Batalhão de Polícia Florestal e do Meio Ambiente (BPFMA), que funcionava na área, foi transferido para o bairro de Bonsucesso, no Rio de Janeiro. O secretário garantiu que iniciará o processo de licitação.



Durante o encontro, o secretário estadual lembrou que o Governo do Estado divulgou, em fevereiro, a abertura de licitação para a restauração da Fazenda Colubandê, mas que nenhuma empresa se interessou em participar do certame. A licitação foi realizada por meio de tomada de preços e as intervenções na Fazenda Colubandê estavam estimadas em R$ 249 mil. Diney Marins lembrou que a Fazenda Colubandê sofre um histórico de degradação há, pelo menos, cinco anos.


A Capela de Sant’Anna teve a estrutura de madeira que formava o altar roubado, em fevereiro, e em agosto de 2015, o mobiliário, lustres, torneiras, disjuntores e peças seculares também foram roubadas. “É triste ver um dos maiores símbolos da nossa cidade completamente abandonado. Temos que agir rápido para não deixarmos a nossa Fazenda Colubandê sumir literalmente do mapa”, garantiu Diney.



O secretário estadual de Cultura garantiu que irá utilizar a Lei de Incentivo à Cultura para tentar salvar a construção. “Estamos iniciando o processo de abertura do edital para restaurar a Fazenda Colubandê pela Lei de Incentivo à Cultura. Fazendo a recuperação da área, nossa meta é ocupar o espaço com artes”, explicou André Lazaroni.

Veja também