Políticos e população pedem apuração de denúncias e novas eleições diretas

Enviado Direto da Redação

Além das denúncias contra o presidente Michel Temer, o senador Aécio Neves (PSDB) também foi citado. Ele teria sido gravado solicitando R$ 2 milhões a empresário. Na manhã de ontem, a Polícia Federal cumpriu mandado de prisão contra a irmã de Aécio, Andréia Neves, e de busca e apreensão em seu apartamento em Copacabana. Agentes também estiveram nos apartamentos do senador em Ipanema e na capital mineira, além de sua fazenda em Cláudio (MG).

Para o ex-prefeito de Maricá, Washington Quaquá (PT), o presidente Michel Temer não tem mais condições de governar. “O governo Temer acabou. E nós defendemos que sejam convocadas novas eleições”, disse. O também presidente do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) defendeu que a democracia seja respeitada. “A democracia, como é de praxe, pede que o povo seja chamado para definir o futuro do país. Só o povo pode restabelecer a democracia, então, eleições diretas já, sem dúvidas. Se o povo não for para rua, a solução é a partir do Congresso e vão entregar o país na mão de bandidos!”, disse.

O deputado federal Altineu Cortes (PMDB-RJ) disse que se comprovada o envolvimento de Temer, novas eleições devem ser convocadas. “Se for comprovada a gravação, isso é um fato gravíssimo. O presidente Temer não vai ter como se defender. Eu acredito que o que tem que ser feito é que se cumpra a Constituição. Que ele deixe a presidência e que sejam convocadas as eleições indiretas”, declarou.

Nas ruas, o clima é de indignação, mas não de surpresa. “Nada mais me surpreende”, disse a estudante de Direito Priscilla Pereira, 31. “Eu quero é saber quem vai governar esse país...”, questionou Carlos Artur Lopes, 36, técnico laboratorial. Sobre os próximos passos, a ambulante Fabiana Inez da Silva, 36, espera que as eleições sejam diretas. “O povo é que tem que decidir, sem dúvidas!”, disse.

Veja também