Traficantes sequestram van escolar com crianças em São Gonçalo

Vítimas ficaram dez minutos em poder dos sequestradores

Enviado Direto da Redação
Bandidos fizeram uma pausa para deixar uma criança no colégio

Bandidos fizeram uma pausa para deixar uma criança no colégio

Foto: Alex Ramos

Por Thuany Dossares


Parece notícia repetida, mas não é. Dois meses após a polícia registrar um caso na favela da Coréia, no Pita, o fato voltou a acontecer no Jóquei, em São Gonçalo, na manhã de ontem. E dessa vez os bandidos ainda fizeram uma pausa no meio do caminho para deixar uma das crianças no colégio. Momentos depois, dois suspeitos de terem participado do crime foram capturados por policiais do 7ºBPM (SG).


Cerca de dez criminosos armados de pistolas abordaram a van num dos acessos à favela da Dita e ordenaram que o motorista os ajudasse a fugir, por volta das 7h20. No transporte estavam o condutor, sua auxiliar, uma estudante de 11 anos e um menino de apenas quatro. As vítimas ficaram em poder dos traficantes por cerca de dez minutos, até eles desembarcarem na comunidade do Capote, no Colubandê, e entrarem num Citroen Xsara Picasso prata. No entanto, no meio do trajeto, metade dos homens desceram e entraram num Vectra verde.


“Eu estava começando a trabalhar e por sorte tinha apenas duas crianças comigo. Eu levei um susto muito grande quando eles me abordaram. Fiquei com medo, além da preocupação de estar com filho dos outros. Mas eles não nos agrediram, ameaçaram, nada disso, só queriam mesmo sair dali e foram me guiando até o ponto onde eles soltaram”, narrou o motorista, de 44 anos.


Durante o trajeto que fizeram, os bandidos passaram em frente a escola de um dos alunos. O responsável pelo transporte pediu para que os criminosos permitissem ele deixar a aluna já no seu destino final e ela ficou no colégio.


“Eu tive dois medos. Um era de que eles me pedissem para levá-los para longe, algum lugar que eu não conhecesse. O outro era que a gente no caminho batesse de frente com a polícia e houvesse um tiroteio. Mas graças a Deus não aconteceu nada de mais grave”, desabafou. Policiais foram acionados por moradores do Capote, no Colubandê, que viram os bandidos saindo armados da van. Após buscas, os militares localizaram o veículo na Avenida Professora Aida de Souza Faria, no Jóquei, em frente ao condomínio ‘Minha Casa, Minha Vida’.


Todos foram encaminhados para a 75ªDP (Rio do Ouro), onde o caso foi registrado. Na delegacia, o menino de quatro anos parecia não ter se dado conta do que havia acontecer. Com um olhar inocente e um sorriso no rosto, brincava sozinho e com quem mais mexesse com ele.


'As crianças nem sabem o que aconteceu'


Familiares das crianças estiveram na distrital, mas pouco falaram sobre o caso. "Não sabemos ao certo o que aconteceu. Recebi uma ligação falando mais ou menos o que houve e vim correndo para cá, fiquei assustado. Mas quando o encontrei ele estava como sempre, alegre, sorrindo e brincando. Graças a Deus não aconteceu nada com ele", disseram. 


A pedagoga Livia Brazil, que trabalha no Conselho Tutelar de São Gonçalo, esteve na 75ªDP para prestar auxílio à família. "Eles estão todos bem, o menino também. A criança não teve entendimento do que aconteceu, não teve nem noção do risco que correu", esclareceu. 


Policiais da delegacia do Rio do Ouro irão investigar o crime para identificar quem foram os responsáveis pelo sequestro. Os agentes acreditam que os bandidos sejam integrantes da facção Comando Vermelho (CV).


'Graças a Deus conseguimos resgatar todos com segurança'


Segundo o comandante do 7ºBPM (São Gonçalo), coronel Ruy França, no início da manhã de ontem diversas equipes realizavam uma operação para reprimir o tráfico de drogas do Complexo do Anaia. O oficial acredita que os criminosos que sequestraram a van haviam sido avisados da ação policial e estavam tentando fugir. 


"Recebemos a informação de que havia marginais sequestrando uma van escolar e desde então designei um cerco. Uma das viaturas achou a van, mas os marginais haviam acabado de desembarcar e fugir no Capote. Não podemos afirmar ainda, mas acreditamos que o grupo estava em fuga das operações que desencadeávamos no Anaia, que é a mesma facção que acreditamos que eles sejam devido aos locais que passaram. Podem ter sido avisados, é uma possibilidade", explicou o coronel.


 França ainda afirmou que também designou que fossem feitas buscas por toda a região. No final da manhã, um jovem foi preso e um adolescente foi apreendido com uma pistola calibre 9mm e drogas na favela da Mangueirinha, em Tribobó. No início da tarde, na comunidade do Girassol, no Colubandê, mais uma dupla foi capturada com arma e drogas. De acordo com a polícia, os quatro são suspeitos de terem participado do crime. 


"Esse tipo de coisa não é normal, principalmente quando se trata de transporte escolar em que vamos nos deparar com crianças. Mais uma vez conseguimos resgatar as pessoas com segurança. Os policiais fizeram o acolhimento deles, que estavam nervosos e os colocaram em situação de proteção", disse o comandante.


Recordando - Em agosto, duas crianças que foram feitas reféns na Comunidade da Coreia, no bairro do Pita, em São Gonçalo, e acabaram resgatadas por militares do 7º BPM(SG) e 12º BPM (Niterói). A van escolar foi sequestrada por cinco traficantes no Barreto, em Niterói. Segundo informações da polícia, os criminosos roubaram dois veículos após uma tentativa frustrada de invadir o Morro dos Marítimos.


Leia também:


Rapaz é assassinado a tiros no Pita em São Gonçalo

Homens tentam arrombar caixa eletrônico em São Gonçalo

Policiais resgatam rapaz que era torturado por traficantes na Trindade em São Gonçalo






Veja também