Perseguição por ruas de São Gonçalo termina com 2 presos após acidente

Criminosos perderam controle do veículo e colidiram contra o muro de fábrica, no Porto Velho

Enviado Direto da Redação

Por Matheus Merlim


Por pouco uma perseguição a um carro roubado não terminou em tragédia, na noite da última sexta-feira, no Porto Velho, em São Gonçalo. Após roubarem um veículo no Gradim, três jovens trocaram tiros com policiais militares, mas acabaram colidindo contra o muro de uma fábrica de enlatados, quase atingindo a tubulação de gás da empresa. Na ação, dois adolescentes acabaram apreendidos. Tudo começou por volta das 22h, quando o trio assaltou uma mulher, de 38 anos, na Rua Visconde de Itaúna, próximo ao viaduto do Gradim. Os suspeitos levaram o carro - um Volkswagen Bora prata - e os pertences da vítima. Poucos minutos depois, ela informou o caso a policiais do 7ºBPM (São Gonçalo), que iniciaram a buscas pelo bairro.


O veículo foi localizado pouco tempo depois na Rua Doutor Alberto Torres, onde começou a perseguição. De acordo com os policiais, os criminosos atiraram contra a viatura e houve confronto. Um dos tiros acabou acertando o pneu do carro dos bandidos, que perderam a direção e colidiram contra um muro que divide um posto de combustíveis e a fábrica de enlatados do Grupo Camil, antiga Coqueiros, no Porto Velho. “A gente estava fazendo uma confraternização de fim de expediente entre os funcionários, quando ouvimos o barulho de um carro desgovernado e os tiros. Foi assustador, pânico geral”, comentou um dos funcionários do posto, que testemunhou o fato.


Um dos suspeitos fugiu do local. Porém, os militares conseguiram apreender dois adolescentes, de 15 e 16 anos, que estavam com um revólver calibre 765 e um simulacro de pistola. O caso foi registrado na 73ªDP (Neves).


Riscos - Por ter colidido contra o muro que divide o posto e a fábrica, o veículo acabou atingindo a tubulação de gás da empresa. No mesmo momento, o barulho e o cheiro forte assustaram quem passava pelo local e os bombeiros foram acionados.


A área foi isolada e, ainda durante a madrugada, engenheiros da Companhia Estadual de Gás (CEG-Rio) estiveram no local para interromper o fluxo de gás. “Com a colisão, o carro acabou atingindo e quebrando o manômetro, que regula e mede a pressão de gás. No momento do fato, não havia funcionários trabalhando, até por conta do feriado”, informou o supervisor de manutenção do grupo Camil, Victor Amaro, de 40 anos.

Veja também