Adolescente é morta pelo ex no portão de casa em SG

Enviado Direto da Redação
Gabi terminou o relacionamento após descobrir envolvimento do acusado com o tráfico. Corpo da menina foi sepultado ontem à tarde no Memorial Parque Nycteroy

Gabi terminou o relacionamento após descobrir envolvimento do acusado com o tráfico. Corpo da menina foi sepultado ontem à tarde no Memorial Parque Nycteroy

Foto: Divulgação

Por Thuany Dossares e Daniela Scaffo

A adolescente Gabriela Batista Lopes, carinhosamente chamada de Gabi, de 15 anos, foi assassinada com um tiro na cabeça, no portão do condomínio onde morava, no Arsenal, em São Gonçalo, na noite de quarta-feira.

O principal suspeito de ter cometido o crime é o ex-namorado da vítima. A jovem havia terminado o relacionamento há cerca de um mês por não aceitar o envolvimento do companheiro com o tráfico de drogas.

Gabi estava em casa, na Rua José Gomes Amaro, quando seu ex, de 20 anos, chegou na garupa de uma motocicleta e pediu para que ela fosse até a portaria, por volta das 20h30. A jovem foi atender o rapaz, que é pai de seu filho de um ano e 11 meses, e o casal chegou a conversar rapidamente no interior do condomínio. Em poucos minutos, o suspeito levou a adolescente para a rua, sacou uma arma e atirou à queima-roupa contra a cabeça dela.

“Eu não tenho nem condições de falar, estou completamente abalado com a situação. Ela era tão linda, nova e cheia de sonhos, tinha uma vida inteira pela frente. Boa mãe, largou tudo para se dedicar ao filho”, lamentou o pai de Gabriela, que optou pelo anonimato.

Policiais da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) foram até o endereço para realizar perícia técnica e constataram que a vítima foi executada com um tiro de pistola calibre 40.

De acordo com as investigações, o crime foi passional. O acusado teria assassinado Gabriela porque ela havia terminado o relacionamento amoroso há cerca de um mês e o acusado não aceitava. Desde então, ele teria começado a ameaçar a mãe do próprio filho.

Ainda segundo a apuração policial, o assassino teria uma passagem por receptação e estaria envolvido com o tráfico. A ligação do rapaz com a venda de drogas , inclusive, teria sido o principal motivo do término, já que Gabi não aceitava aquela situação.

O caso foi registrado como feminicídio e os agentes da DH já solicitaram à justiça a prisão do ex-namorado de Gabi.

Sepultamento - Cerca de 50 pessoas, entre amigos e parentes, acompanharam a cerimônia, que aconteceu na tarde de ontem, às 17h, no Cemitério Parque Nycteroy, em Vista Alegre, São Gonçalo.

Abalado, o pai de Gabi lamentou a morte precoce da menina. “Minha filha se foi. Como vou viver sem você, minha filha?”, indagava o pai, entre lágrimas, durante o velório.

Uma amiga de Gabriela, que preferiu não se identificar, também falou sobre o caso e lamentou o ocorrido. “Ela era muito nova, cheia de vida pela frente. Lamentável essa situação”, comentou.

Veja também