Ponte danificada é um risco frequente em Granjas Cabuçu

Enviado Direto da Redação
Algumas partes das grades de proteção da ponte foram ‘substituídas’ por fios de arame farpado

Algumas partes das grades de proteção da ponte foram ‘substituídas’ por fios de arame farpado

Foto: Leonardo Ferraz

Por Dayse Alvarenga e Letícia Lopes

Seja de carro ou a pé, quem atravessa o Rio Cabuçu, em Itaboraí, corre sérios riscos. A ponte que corta o curso d’água, na Avenida Rodrigues da Rocha, em Granjas Cabuçu está, segundo moradores, há mais de 10 anos em estado crítico: partes das grades de proteção não existem mais, sendo “substituídas” por fios de arame farpado ou apenas pelo vazio.

Morador do bairro há 21 anos, Marciro Alves, de 63 anos, conta que teme pelos perigos causados pelas condições da ponte.

“A situação é essa há mais de 10 anos. Um carro chegou a cair no rio no ano passado”, contou Marciro.

Já para João José Monteiro, de 42 anos, que passou toda a infância em Granjas Cabuçu e atualmente retorna atualmente para visitar familiares, a precariedade da ponte é mais antiga.

“Sempre foi assim, desde os meus 15, 16 anos. É um perigo”, disse João.

À falta das grades de proteção e aos pedaços de arame farpado na ponte, soma-se também a falta de calçadas para a travessia dos pedestres, que se arriscam ao dividir o espaço com os carros, que passam em alta velocidade.

Contactada, a Prefeitura de Itaboraí não enviou uma resposta indicando uma solução para o problema à reportagem de O SÃO GONÇALO até o fechamento desta edição.

Veja também