Moradores da Trindade estão sem água há quase 2 meses

A população está tendo que comprar pipas d’água

Enviado Direto da Redação
moradores reclamam do descaso da Cedae.

moradores reclamam do descaso da Cedae.

Foto: Julio Diniz

Por: Daniela Scaffo

Há quase dois meses sem abastecimento de água, moradores da Rua Teresópolis, na Trindade, em São Gonçalo, reclamam do descaso da Cedae. A população conta que já entrou em contato diversas vezes com o órgão e, até o momento, a empresa não solucionou o problema.

Segundo os moradores, a Cedae teria informado que teria um vazamento na rede de abastecimento e que, por isso, os residentes da rua não estavam recebendo a água em suas casas.

A professora Vânia Vanessa Bento Silva de Castro, de 35 anos, contou que mora com o marido e seus dois filhos, de 5 e 15 anos, e que por isso, já precisou comprar duas pipas d’água desde então.

“Hoje (ontem) meu filho teve que faltar a aula na escola porque não temos água nem para ele tomar banho. Pago minhas contas em dia, de R$200 por mês, e ainda assim estou tendo que comprar pipas d’água, pois a Cedae não resolve o problema”, disse.

O eletrotécnico Robert do Nascimento, 38, disse que operou um nódulo na região das costas e está tendo que ir até a casa do pai, que fica na Estrada da Trindade, para tomar banho.

“Operei no último dia 1º, quando já estávamos sem abastecimento. Mesmo com vários pontos devido à cirurgia, estou tendo que me deslocar até a casa do meu pai para tomar banho, pois não tenho uma gota de água na minha casa”, contou o eletrotécnico.

Para tentar solucionar o problema, o advogado José Venâncio da Silva Filho, 50, chegou a comprar uma bomba, para ver se conseguia puxar a água que vem da rua, mas não teve sucesso.

“Comprei uma bomba com a esperança de que eu fosse conseguir abastecer a minha cisterna, mas nem assim eu consigo. Já não aguentamos mais ficar sem água”.

Resposta - A Cedae informou que durante vistoria realizada ontem (10), técnicos identificaram vazamento de água em rede que atende a rua, que está reduzindo a pressão nas tubulações. O setor de manutenção foi acionado e o reparo será concluído em até 24 horas.

Veja também