Bailarina gonçalense faz 'vaquinha' para disputar seleção do Bolshoi

O evento vai acontecer nos próximos dias 19, 20 e 21

Enviado Direto da Redação
Karolina, de 11 anos, precisa de recursos para viagem e estadia

Karolina, de 11 anos, precisa de recursos para viagem e estadia

Foto: Felipe Aguiar

Por: Dayse Alvarenga e Samara Oliveira 

Na busca por um sonho, Karolina Fiuza Pereira, de 11 anos, a Karol, se destaca quando o assunto é balé clássico. A prova disso é que a jovem passou na pré-seleção da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, que ocorrerá nos próximos dias 19, 20 e 21, para disputar a etapa final e, enfim, realizar o sonho de se tornar uma bailarina da escola.

Karol concorreu com cerca de 200 crianças da mesma idade, de vários estados e ficou entre as 14 selecionadas para disputar a vaga.

O problema para a família é que a disputa para o Bolshoi acontece em Joinville, Santa Catarina, única cidade do país que possui a filial da escola, e os pais alegam não ter condições para arcar com os custos da viagem e estadia.

A partir disso, o irmão mais velho, Gabriel Fiuza Pereira, de 20 anos, tomou a iniciativa de usar o alcance das redes sociais para ajudar no sonho da irmã

“Fiz uma publicação no Twitter porque acreditei que traria algum resultado, mas não esperava essa repercussão. Já tem mais de 600 mil visualizações, e as próprias pessoas me incentivaram a fazer a ‘vakinha’ online. Eu fiz e em dois dias já tinha R$590 na conta”, disse.

Futuro traçado desde antes dos 2 anos
 

A mãe da bailarina, Cleide Maria Rangel Fiuza Pereira, de 46 anos, conta que sempre ouviu de outras mães e até dos médicos que a filha seria bailarina ou contorcionista. E então, quando a filha tinha 1 ano e 8 meses e já mostrando apreço pela música, Cleide decidiu colocá-la nas aulas de balé. 

“Eu nunca forcei Karol a nada. Ela que sempre mostrou interesse pela música e pelo balé, mesmo que eu direcionasse ela para outras atividades. Cheguei a colocá-la na aula de natação, mas por coincidência no andar de cima tinha aulas de balé. Ela subiu para assistir às aulas, viu um cartaz da bailarina Ana Botafogo e acho que foi ali que ela decidiu que permaneceria como dançarina”, contou.

Menina acumula mais conquistas importantes

Além de se mostrar decidida sobre o seu futuro, Karolina sempre teve iniciativa e foi ela mesmo se inscreveu nos primeiros editais, ainda com 9 anos e vem colhendo os frutos desde então.

A dançarina também foi aprovada para a Escola de Dança Maria Olenewa - Theatro Municipal do Rio. Além disso, no final do mês passado, a bailarina conquistou os títulos de coreografia solo, contemporâneo em equipe, jazz lírico em equipe, balé clássico em equipe e melhor bailarina no Festival Nacional Oficina da Dança Angélica Maria (Fenodam).

Para contribuir com a vakinha para a viagem da bailarina, o link é www.vakinha.com.br/vaquinha/karol-no-bolshoi Mas além da ‘’vakinha’’ online, a mãe de Karolina também está vendendo rifas de uma cesta de chocolate a R$ 5 para arrecadar mais recursos.

Veja também