Idoso com tuberculose precisa de exame em São Gonçalo

Paciente solicita o exame de escarro induzido

Enviado Direto da Redação
 Jorge Mendes, de 69 anos, precisa de um exame de escarro induzido devido a sua fragilidade

Jorge Mendes, de 69 anos, precisa de um exame de escarro induzido devido a sua fragilidade

Foto: Felipe Aguiar

Por: Marcela Freitas

Abandonado pela família e diagnosticado com tuberculose na Unidade de Pronto Atendimento (Umpa), em Nova Cidade), o idoso Jorge Mendes, de 69 anos, trava uma batalha pela vida. Ele busca junto à Prefeitura de São Gonçalo um exame de escarro induzido, mas que vem sendo negado com a justificativa que ele consegue escarrar.

Porém, com saúde bastante debilitada, que inclui dificuldade de locomoção, ele não consegue fazer o teste de forma voluntária, e o exame é considerado essencial para que ele tenha um tratamento adequado, mas até o momento não foi iniciado.

A dona de casa Emanuelle Cristina Alves, 33 anos, é que “adotou” o idoso após ele ser abandonado por uma sobrinha. Ela conta que conheceu a família há pouco mais de um ano em uma viagem à Região dos Lagos e, com o tempo, foi se afeiçoando ao idoso.

Como a sobrinha pretendia colocá-lo em um asilo, ela pegou para si os cuidados com Jorge, mas sem tratamento sua situação vem sendo agravada.

Com problemas cardíacos, os R$ 600 que recebe de beneficio do INSS não têm sido suficientes para pagar fraldas, alimentação e remédios. Os dois últimos receitados após uma crise (Claritin e Ibiprofeno) ela não conseguiu comprar e nem pegar no posto.

“Ele recebe um salário mínimo de pensão, mas a sobrinha pegou um empréstimo de mais de R$ 300 que vem sendo descontado. Eu cuido de um bar próximo de casa, e minha renda é pouca. Infelizmente não tenho como pagar esse exame para ele e nem garantir um tratamento particular. Cuido dele pela necessidade que ele apresenta. Já pedi que a família retomasse os cuidados com ele, mas ninguém quer. Não posso abandoná-lo a própria sorte. Todos os dias pego para dar banho e levo as alimentações. Sofro em vê-lo assim. Ele não tem ninguém. Peço socorro”, lamentou Emanuelle.

Prefeitura de SG orienta para solução do problema

A Prefeitura de São Gonçalo confirmou, através de nota, que no caso em questão (específico do senhor Jorge Mendes) o exame é realmente de escarro induzido, o que deverá ser regulado através do sistema SER, ou seja, na Central de Regulação.

Assim sendo, o governo municipal orientou que “o responsável pelo paciente procure a funcionária chamada Fabiana na Central de Regulação, que fica na Avenida Presidente Kennedy 333, Centro de São Gonçalo, com o pedido original do exame do senhor Jorge e cópia dos documentos pessoais dele (cartão do SUS, CPF e comprovante de residência)”.

Veja também