Projeto leva atendimento jurídico a moradores do Jardim Catarina

O atendimento popular é realizado às segundas e quartas

Enviado Direto da Redação
Projeto ‘Justiça Acessível’ leva atendimento jurídico a moradores do Jardim Catarina e adjacências

Projeto ‘Justiça Acessível’ leva atendimento jurídico a moradores do Jardim Catarina e adjacências

Foto: Luiz Nicolela

Por Elena Wesley


Ubuntu é uma palavra africana de origem bantu que representa uma filosofia voltada à humanidade e ao respeito pelo outro. No português, poderia ser traduzida pela expressão “Eu sou porque nós somos”, no sentido de que o progresso pessoal está a serviço do avanço de toda a comunidade. E é com base nessa regra de conduta que um grupo de jovens do Jardim Catarina, em São Gonçalo, oferece atendimento jurídico popular à população do bairro e adjacências.


O projeto ‘Justiça Acessível’ funciona desde janeiro no Centro Comunitário do Jardim Catarina, com atendimentos às segundas e quartas-feiras, das 14h às 18h. A iniciativa é vinculada ao ‘Nós por Nós’, coletivo de ex-estudantes do Colégio Estadual Trasilbo Filgueiras, que desenvolve atividades sociais e culturais no bairro.


Segundo os organizadores, o projeto surgiu por conta da vontade de auxiliar a população a ter acesso à Justiça e tirar dúvidas sobre assuntos pertinentes à área.


“Eu alimentava um grande desejo de fazer algo pelo bairro quando me formasse. Nós percebemos que há uma carência significativa dos moradores sobre os direitos do cidadão, como amparos ao idoso e ao deficiente, além de quais procedimentos são necessários para recorrer à Justiça”, conta o advogado Wesley Mattos, que cuida dos casos relacionados ao Direito Trabalhista e Previdenciário.


Até agora, a maioria dos clientes procura o serviço para solucionar questões referentes a Direito de Família e benefícios a aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). “Nesse período, chegamos a aproximadamente 30 atendimentos. O custo do serviço é a preço popular, justamente para estar compatível à realidade do bairro, que é de baixa renda. Os ganhos são revertidos para a manutenção das atividades do ‘Nós por Nós’”, salienta Jefferson Ferraz, estagiário na Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro e responsável pelos casos ligados ao Direito do Consumidor e de Família.


Mais informações sobre o ‘Justiça Acessível’ estão disponíveis no facebook do ‘Nós por Nós’ ou pelo email justica.acessivel@gmail.com. O Centro Comunitário do Jardim Catarina fica na Rua Raposo Botelho (antiga Rua 21), lote 10, quadra 80.

Veja também