Desabrigados sofrem com ‘jogo de empurra’ da Prefeitura de São Gonçalo

Prefeito quebra promessa de que pagaria aluguel social a todos os prejudicados

Enviado Direto da Redação
Famílias não podem voltar para as casas e não recebem ajuda da Prefeitura de São Gonçalo

Famílias não podem voltar para as casas e não recebem ajuda da Prefeitura de São Gonçalo

Foto: Julio Diniz

Por Marcela Freitas


Descumprimento a ordem e impasse na justificativa para negar o benefício do Aluguel Social. Esse é o cenário enfrentado por oito famílias da Rua Fonseca Ramos, no Centro de São Gonçalo, que viram os imóveis desmoronarem com as chuvas que atingiram a cidade no dia 8 de janeiro. Na ocasião, o prefeito de São Gonçalo, José Luiz Nanci, prometeu que todos receberiam o benefício (OSG tem um vídeo da promessa), mas ficou só na promessa.

Enquanto isso, os moradores amargam prejuízo do pagamento de 23 Ufisgs cada (R$ 791,66). Somando as oito famílias seriam R$ 6,333 mil ao mês. A atriz Adriana Quitete, de 54 anos, que enfrenta uma verdadeira “via crucis” para fazer jus a promessa de Nanci reclama da posição da prefeitura.

“Não sei mais a quem recorrer. Ontem (segunda), fui recebida pela esposa do prefeito (Eliane Nanci). Ela me perguntou se eu pagava IPTU. Como estava atrasado, ela disse que eu não poderia receber o Aluguel Social. Cada hora é uma justificativa diferente. É muito triste passar por isso. Já não aguento mais o descaso”, afirma.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de São Gonçalo informou que desconhece a promessa do prefeito. Eles afirmam que, diferente do informado pela secretária de Governo, Eliane Nanci, o benefício é destinado aos cidadãos e famílias com impossibilidade de arcar, por conta própria, um aluguel. De acordo com a legislação, é necessário que a família tenha renda per capita de 1/4 de salário mínimo, os filhos estejam matriculados e frequentando a rede de ensino, as famílias estejam cadastradas no Cras, entre outros quesitos.

Veja também