Porta danificada causa confusão no Detran do Rocha em São Gonçalo

Atendimentos não seriam realizados

Enviado Direto da Redação
>> Usuários abriram a porta na tentativa de terem atendimento ou explicação na manhã de ontem

>> Usuários abriram a porta na tentativa de terem atendimento ou explicação na manhã de ontem

Foto: LEONARDO F



Uma grande confusão se formou, na manhã de ontem, no posto do Detran do Rocha, em São Gonçalo, após a porta de entrada apresentar problemas. Usuários que aguardavam atendimento resolveram, por conta própria, realizar a abertura da porta de aço que estava empenada e, por essa razão, foram ameaçados de prisão por funcionários do local. Um grande tumulto foi formado e a Polícia Militar foi acionada.


Após a chegada da PM, os funcionários se negaram a atender as pessoas alegando que haviam arrombado a porta, mas os militares conseguiram reverter a situação e, após intenso diálogo com as partes, conseguiram garantir a abertura do posto, que aconteceu às 10h20, mais de duas horas depois do previsto.


Segundo os militares, o diretor do posto teria alegado que havia previsão de reparo para ontem e, por esse motivo, o local não poderia ser aberto à revelia. Os usuários pediram, então, que algum funcionário saísse para dar satisfação, já que não havia sido dado nenhum esclarecimento até aquela hora e, foi então, que a equipe do Detran resolveu retomar o atendimento.


“É um absurdo. Tentamos ajudar e nos acusam de arrombar a porta. Ao que parece, ninguém tem o interesse de trabalhar. Deveriam nos agradecer por fazermos um trabalho deles. Essa porta estava desde a última sexta-feira com problemas. Por que não foi agendado serviço para o final de semana ou para hoje bem cedo? Não nos deram qualquer informação, o que demonstra uma total falta de respeito”, disse o mestre de obras Adriano Lessa, de 50 anos.


De acordo com os usuários, três portas do posto já estavam com problemas e eles aguardaram a última quebrar para pedir o reparo.


“Estou agendada há três semanas. Vim de Icaraí e cheguei cedo para honrar com meu compromisso para me deparar com essa falta de respeito. Será que precisava chegar a esse ponto para consertarem?”, questionou a consultora de venda Lucybelle Ribeiro, 59.


A mesma queixa foi feita pelo supervisor Robson Vieira, 37, que deixou de trabalhar para ir ao Detran. “Pagamos caro o serviço e a situação que vemos é essa. As pessoas tentando ajudar e os funcionários se negando a trabalhar. É vergonhoso”, reclamou.


A assessoria de imprensa do Detran se limitou a informar que o serviço estava normalizado.



Veja também