Liberação dos mosquitos aliados da Fiocruz chega a etapa final em Niterói

Insetos contribuem para combater a doença

Enviado Direto da Redação
Os mosquitos Aedes modificados ajudam no combate a dengue

Os mosquitos Aedes modificados ajudam no combate a dengue

Foto: Divulgação

O projeto Eliminar a Dengue: Desafio Brasil (ED Brasil), conduzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), iniciou a liberação de mosquitos aliados nas áreas finais do município de Niterói e da Ilha do Governador, na cidade do Rio de Janeiro. A nova etapa foi iniciada no dia 21 de novembro.

Em Niterói, 13 bairros compõem a quarta e última região em que o ED Brasil irá atuar na cidade nesta primeira fase de expansão do projeto. Nas três áreas anteriores, que incluem bairros da Região Oceânica, além de Charitas, Preventório, São Francisco e Grota, vivem cerca de 92 mil pessoas. Os bairros que compõem a área atual reúnem 178 mil moradores e são os seguintes: Ingá, Icaraí, Centro, Gragoatá, Boa Viagem, Fátima, Morro do Estado, Pé Pequeno, Ponta D’Areia, Santa Rosa, São Domingos, Viradouro e Vital Brasil.

Os Aedes aegypti com a bactéria Wolbachia, os mosquitos aliados, são criados no insetário do ED Brasil, na Fiocruz e têm a capacidade de transmitir dengue, Zika e chikungunya reduzidas.

No Rio, os mosquitos já foram soltos nos bairros da Ilha do Governador, Cidade Universitária, Galeão, Jardim Carioca, Jardim Guanabara, Portuguesa e Cordovil.

Veja também