Pescadores de Niterói e São Gonçalo continuam desaparecidos após naufrágio

Famílias lutam pela intensificação das buscas

Enviado Direto da Redação
Suite Naufragio de Barco em Angra
Andreia Esposa de Marcio Braga

Suite Naufragio de Barco em Angra Andreia Esposa de Marcio Braga

Foto: JD


Por: Thaís Gesteira e Fernando de Oliveira


“Meu desejo é que todos sejam encontrados com vida, mas mesmo que não estejam vivos, queremos encontrá-los para pelo menos fazer um enterro digno. Então deixo esse apelo para que não parem as buscas. São todos homens guerreiros que estão nessa profissão há muito tempo”, o apelo emocionado de Jonathan Carvalho Moreira, filho do pescador João Manuel Martins Moreira, o Pinóquio, resume a dor e angústia que cinco famílias de pescadores desaparecidos estão vivendo desde a noite de quarta-feira (8), quando a embarcação pesqueira ‘Nossa Senhora do Carmo I’, na qual trabalhavam, naufragou em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro.


Sem receber quaisquer informações ou suporte, as famílias lutam para que as buscas sejam intensificadas com o apoio de mergulhadores.


Segundo parentes das vítimas, a notícia do naufrágio foi recebida através de redes sociais e que em nenhum momento a empresa responsável pela embarcação entrou em contato.


Daniel Braga Dias Moreira, sobrinho do pescador desaparecido Márcio Braga Dias, 53 anos, questiona a origem da autorização para que as modificações tenham sido feitas na embarcação que estava completamente diferente da planta original, uma vez que essa era a primeira viagem realizada após a reforma.


Outro questionamento feito pelos parentes das vítimas é a respeito de uma suposta fiscalização seguida de liberação da Capitania dos Portos que teria desconfiado que havia algo de errado com o barco em Jurujuba há cerca de 20 dias.


Lucas de Souza Alves, filho de José Alves da Silva, o Pará, disse que somente hoje, os donos da empresa responsável pelo barco, ofereceram R$ 500,00 para cada família como forma de suporte, apesar de não estarem oferecendo nenhum tipo de assistência médica ou psicológica.


“Os donos da empresa devem estar em casa pensando em prejuízo, enquanto a gente só quer ter notícias sobre nossos familiares”, desabafa Lucas.


Tripulação - A embarcação Nossa Senhora do Carmo I viajava com 23 tripulantes. Após naufragar, 18 pescadores que estavam no barco foram resgatados ainda com vida. Os nomes dos cinco que permanecem desaparecidos são: José Alves da Silva, o Pará, de 50 anos pescador há 14; Márcio Braga Dias, 53 anos e pescador há 20; João Manuel Mendonça de Abreu, o Touro, 63 anos e pescador há 50; João Manuel de Alves Perestrelo, Pedrara, 68 anos e pescador há 50 e João Manuel Martins Moreira, Pinóquio, 53 anos, pescador há 30 anos.





Veja também