Dois gonçalenses são classificados para a segunda fase do programa 'The Voice Brasil'

Felipe Maurente é bancário e músico

Enviado Direto da Redação
O bancário Felipe Maurente, que tem talento vindo de berço, se inscreveu no programa no último dia de inscrições a pedido de amigos e familiares

O bancário Felipe Maurente, que tem talento vindo de berço, se inscreveu no programa no último dia de inscrições a pedido de amigos e familiares

Foto: Filipe Aguiar

Tem gonçalense no The Voice Brasil! Morador de Santa Luzia, Felipe Maurente, de 26 anos, foi aprovado na primeira fase de “audições às cegas” e segue representando a cidade de São Gonçalo na disputa para ser “a voz” da sexta temporada do reality.


Estudante de Ciências Contábeis e bancário, ele divide a rotina entre o expediente no emprego formal com as apresentações de voz e violão à noite. Eclético e autodidata, ele revela que o talento se deve ao aprendizado recebido de berço, já que é neto e filho de músicos. “Cresci vendo todos da minha família cantando, tocando naquela rodinha no quintal. Então, hoje sei que meu avô, meus tios são as minhas grandes inspirações musicalmente”, relembra.


Com seu jeito leve de levar a vida, Felipe conta que o expediente “duplo” vale a pena. “Diversas vezes emendo o trabalho do banco com as apresentações à noite, que se estendem pela madrugada. Mas eu gosto dessa correria, de terminar o expediente, tirar a gravata, colocar os braços de fora, pegar o violão e cantar. Parece uma troca de personagem”, brinca. Após incentivo de amigos, Felipe resolveu enviar o vídeo para participar do programa no último dia. Quando recebeu a notícia de que estava aprovado, o músico demorou para acreditar. “Às vezes, ainda parece que a ficha não caiu, que eu realmente fui lá e que as cadeiras viraram para mim. É um sentimento muito louco, uma sensação até um pouco estranha, mas muito boa”, conta.


E por falar em cadeiras, Felipe acrescenta que precisou lidar com o “frio na barriga”, quando elas demoraram a virar. “Quando você sobe no palco, muda tudo. Tudo que você planejou, ensaiou, acontece tudo diferente, tudo muito rápido. Então, conforme eu fui cantando, o tempo passava e eles não viravam, eu só pensei em fazer algo diferente que chamasse atenção”, conta Felipe, acrescentando que, quando viraram, foi indescritível. “Fiquei em êxtase”. Entre os que aprovaram sua apresentação - Lulu Santos, Ivete Sangalo e Michel Teló - Felipe decidiu por Teló por causa de um sonho. “Lulu Santos é fantástico. Carlinhos Brown, Michel Teló e Ivete Sangalo não precisam de comentários. São artistas fora de série. A música do Projota foi bacana porque consegui fazer algo bem diferente e eu coloquei um pouco das minhas referências musicais. Mas escolhi o Teló porque em uma das noites em que eu estava ansioso por participar do programa, sonhei que ele era o único que virava a cadeira. Então, resolvi seguir meu sonho”, completa.


Outro participante de São Gonçalo, Felipe Luziário, também passou pela audição às cegas. O SÃO GONÇALO entrou em contato, mas o cantor não pode comparecer à entrevista.


Musicalidade eternizada na pele


A paixão pela música rendeu - e vem rendendo - a Felipe Maurente tantos momentos inesquecíveis que ele resolveu eternizar a musicalidade na própria pele. A primeira tatuagem, aos 17 anos, foi o ponto de partida para outras que hoje cobrem um dos braços, além de frases sobre Deus e fé.


“Na infância e adolescência, aprendi muito sobre música na igreja, participando do ministério de louvor. A igreja é uma grande escola também para quem sonha em ser músico”, recorda Felipe, que faz parte da banda Radar.


Mais do que uma promessa gonçalense, o cantor também espera inspirar outros talentos da cidade a buscarem seus sonhos. “Acho que, às vezes, as oportunidades não acontecem porque, de repente, não são aproveitadas da melhor maneira possível, ou as pessoas não têm apoio que precisam, com eventos ou iniciativas dos próprios músicos daqui. O povo gonçalense é muito guerreiro e tem muitas inspirações talentosas. A Claudia Leitte é um exemplo, uma conterrânea que hoje é estouro em todo o país”, completa o artista.


E para quem acompanha o programa, Felipe promete empolgação do início ao fim. “Vou entrar com muita musicalidade, ‘sangue nos olhos’ e tentar passar tudo que consegui carregar durante esses últimos anos para transmitir meu melhor, essa vontade de vencer e mostrar que tem gonçalense lá”.


Veja também