Pais e alunos de Ciep no Colubandê pedem retorno de diretor exonerado

Abaixo-assinado foi entregue à Secretaria de Educação

Enviado Direto da Redação
Diretor do Ciep 125 é exonerado e pais reclamam da medida

Diretor do Ciep 125 é exonerado e pais reclamam da medida

Foto: Julio Diniz


A troca da direção do Ciep municipalizado 125 - Professor Paulo Roberto Macedo do Amaral, na Avenida Maricá, no Colubandê, em São Gonçalo, incomodou pais, alunos e professores. Cerca de 30 pessoas da comunidade escolar estiveram, ontem, na Secretaria de Educação do município, no Centro, para reivindicar o retorno do antigo diretor. Um abaixo-assinado foi entregue à Secretaria de Educação.


Segundo os pais, o antigo diretor, Reinaldo Soares, foi substituído por uma gestora que já havia feito uma passagem pela escola. A decisão da exoneração foi publicada no Diário Oficial da última terça-feira. Porém, de acordo com os pais, o diretor vinha fazendo um bom trabalho na escola, realizando reformas e convidando a comunidade para participar das atividades e decisões.


O consultor Daniel Machado, de 41 anos, mantém dois filhos matriculados no colégio e não gostou da mudança.


“O Reinaldo mudou fisicamente a escola, além de ter tornado os pais, alunos e professores, uma família. Tudo isso em apenas dez meses”, contou.


A estudante Ana Cristina Gonçalves Santana, 42, contou que eles foram surpreendidos com a notícia. Segundo ela, Reinaldo realizou limpeza na caixa d’água, no quintal da escola e mudanças na alimentação.


“Se existe uma democracia, queremos direito de resposta. O comunicado dessa mudança não chegou até nós e tudo foi feito por debaixo dos panos”, disse a estudante.


O corpo de professores também foi até a secretaria para solicitar informações da exoneração. De acordo com os docentes, que preferiram não se identificar, o diretor Reinaldo criou um ambiente propício para o trabalho.


“Trabalhei nas duas gestões e posso afirmar que o professor Reinaldo transformou a unidade. A gente tinha prazer em ir trabalhar. Respeitava os profissionais e principalmente os alunos”, citou uma professora.


A subsecretária de Educação da cidade, Rejane de Santana, atendeu as demandas e marcou uma reunião na escola na próxima segunda-feira, às 10h.


“Vamos conversar, pois a reivindicação é legítima. Como o secretário prima pelas ações democráticas e pela gestão participativa, vamos escutar as demandas”, informou.



Veja também