Skatista morre após acidente de moto em São Gonçalo

'Grilinho' era amante de esportes radicais

Enviado Direto da Redação
O enterro de 'Grilinho' aconteceu na tarde de ontem no Parque da Paz

O enterro de 'Grilinho' aconteceu na tarde de ontem no Parque da Paz

Foto: Luiz Nicolella


Um jovem cheio de sonhos e que transbordava alegria. Assim é descrito por familiares o skatista e campeão downhill (modalidade praticada com bicicletas), Jonas Figueiredo Santos, conhecido como ‘Grilinho’, de 19 anos, que morreu na tarde do último domingo, vítima de um acidente com motocicleta.


Segundo informações da família, o acidente aconteceu por volta de 17h30. Jonas tinha acabado de chegar da praia com um amigo, quando pediu para dar uma volta no quarteirão com sua moto uma Yamaha XJ6- 600 cilindradas. Sem conseguir controlar o veículo, o jovem que estava sem capacete, se chocou contra um muro próximo a sua casa, na Rua Aluísio Neiva, no centro.


O pai de Jonas, o funcionário público Cléber Silva Santos, 50 anos, classificou o acidente como uma fatalidade. O jovem, que era amante dos esportes radicais, estava iniciando suas atividades com motocicleta.


“Jonas chegou com sua moto ( com 150 cilindradas) e pediu para dar uma volta na motocicleta do amigo. Foram poucos minutos. Ele não usou o capacete e acabou perdendo o controle. Infelizmente perdi o meu filho. Ele era um jovem que não bebia e não fumava. Estava trabalhando comigo em revenda de cosméticos, mas sempre sonhou em alçar vôos no esporte. Acreditávamos muito nele porque ele amava o que fazia”, disse.


Campeão estadual de Downhill, o pai contou que o amor de Jonas pelos esportes radicais começou ainda na infância e foi o jovem quem o incentivou a também praticar esportes.


“O Jonas era um apaixonado por bicicletas. Aos 10 anos, começou a frequentar um cicle próximo de casa. Fui lá, para conhecer. Na época, morávamos no Mutondo. O proprietário, que é nosso amigo me falou que poderíamos investir no Jonas neste sentido. Foi ai que para acompanhá-lo nos campeonatos, passei a me envolver neste universo. Aos 16 anos, o deixei seguir sozinho. Meu filho amava esportes e viveu intensamente seus 19 anos. O que me conforta é saber que ele era tão querido e cercado de pessoas que o amavam”, contou Cléber.


O tio do esportista, o pastor Leônidas Duarte, 54 anos, disse que o jovem era o gênio da alegria. No Facebook, a página SG Skate Longboard lamentou a perda.




Veja também