Outra rodovia no ‘buraco’

RJ-100 é outra estrada estadual da região abandonada, causando riscos de acidentes

Enviado Direto da Redação
No caminho de quem precisa circular pela RJ-100, conhecida como Estrada Velha de Maricá, existem várias crateras no asfalto

No caminho de quem precisa circular pela RJ-100, conhecida como Estrada Velha de Maricá, existem várias crateras no asfalto

Foto: Sandro Nascimento

Se no ‘Meio do Caminho’, de Carlos Drumond de Andrade existia uma pedra que virou poema, no meio do caminho de quem precisa circular pela RJ-100, conhecida como Estrada Velha de Maricá, na altura do Rio do Ouro, existem crateras no asfalto, calçadas quebradas e árvores, muitas árvores que atrapalham a circulação. Mas os moradores do local não vêem o caos como inspiração. Por lá, o que não falta é motivo para reclamar.

Em um dos principais acessos ao bairro Rio do Ouro, o asfalto está esburacado e com muitas ondulações. Por ser perto de uma curva acentuada, os moradores afirmam que a freada brusca para fugir dos buracos é a principal causa de acidentes de trânsito por lá.

“Os carros vem numa velocidade da outra estrada e ao fazer a curva e ‘cair’ na Estrada Velha, os motoristas percebem os buracos e precisam frear em cima. Isso causa muita batida”, informou o porteiro escolar, Antônio Mendes, de 64 anos, que mora no bairro desde que nasceu.

Uma coisa que chama a atenção na região é que somente um sentido da RJ-100 pertence ao município de São Gonçalo. “É fácil saber qual lado é de São Gonçalo. Só você olhar as condições. Aquele lado está recapeado, porque a prefeitura da outra cidade veio e fez a sua parte, mas do lado de cá, estamos desse jeito”, explicou o porteiro.

Mas a falta de manutenção não atinge somente quem circula de carro por lá. Andar à pé também é uma aventura, já que calçadas também estão bastante danificadas.

“Estamos pedindo por cerca de dois anos, que venham ver essa árvore. A raiz dela está destruindo a calçada, e todos os dias alguém tropeça ou chega a cair aqui. Um profissional precisa fazer alguma coisa, pois não temos nem como consertar a calçada por conta própria”, reclamou o comerciante Carlos Eduardo Vargas, de 45 anos.

A prefeitura de São Gonçalo informou, através de sua Secretaria de comunicação, que a Subsecretaria de Conservação e Obras irá enviar uma equipe ao local na próxima semana para verificar a demanda e incluir a rua no cronograma de tapa-buracos. E acrescentou que a Subsecretaria de Parques e Jardins irá enviar uma equipe para analisar a necessidade, ou não, de retirada ou poda da árvore.

Veja também