A importância da piracema

Enviado Direto da Redação

A piracema é um fenômeno que ocorre com diversas espécies de peixes ao redor do mundo. A palavra vem do tupi e significa algo como “saída de peixes” ou “subida de peixes”, onde os cardumes nadam rio acima, contra a correnteza, para realizar a desova no período de reprodução. 

Na maior parte do Brasil, a piracema ocorre entre os meses de outubro a março, durante as chuvas de verão, que é o período onde existe um aumento considerável do nível dos rios com aumento da temperatura da água e do ar. É quando os peixes percebem que é hora de vencer a correnteza para se reproduzirem. A duração da viagem varia bastante.

Peixes como as piavas não chegam a subir mais do que três quilômetros por dia, mas há registros de curimbatás que chegam a rasgar 43 quilômetros de rio em apenas 24 horas. O que não difere para nenhum deles é a jornada cheia de perigos. Além de superar cachoeiras, predadores e até barragens, esses animais precisam vencer também a pesca predatória, já que os peixes da piracema viram presas fáceis, pois sobem os rios em grandes cardumes. 

A jornada rio acima é extremamente importante para o sucesso reprodutivo, já que o esforço contra a corrente faz com que os peixes queimem gordura e estimulem a produção de hormônios responsáveis pelo amadurecimento dos órgãos sexuais. Durante o trajeto da piracema, os peixes “namoram” até quatro horas antes de iniciarem o processo de fecundação. Esse período de paquera entre machos e fêmeas parece um verdadeiro balé aquático. No momento da fecundação, que ocorre externamente, a fêmea lança óvulos na água, enquanto o macho lança os espermatozoides diretamente sobre eles. Após esse momento, os peixes descem novamente o rio. Os ovos fecundados eclodem, dando nascimento aos peixes, o que ocorre cerca de 20 horas após a desova, sendo levados através da correnteza para as lagoas marginais, ficando ali pelo prazo de um ano, até a próxima cheia, quando estes peixes, agora jovens, voltam para o leito do rio. 

Com o passar dos anos e atingindo o grau de maturação para reprodução, repetirão o mesmo ciclo de seus pais. Durante o fenômeno da piracema, a pesca é geralmente proibida por lei, uma vez que os grandes cardumes encontram-se no seu período de reprodução. A captura de grande quantidade desses peixes nesse período pode ocasionar uma diminuição da população de uma determinada espécie. Vale lembrar que o desrespeito à lei pode ocasionar multa e apreensão do material pescado, portanto, antes de arrumar seus apetrechos e curtir uma pescaria, informe-se a respeito das espécies que podem ser capturadas, certificando-se de que não estão em fase reprodutiva. “QUE SEJAMOS MAIORES QUE OS MAIORES E MELHORES QUE OS MELHORES”. (AURÉLIO FIDÊNCIO) – Preserve o meio ambiente 

Veja também