Retorno sob protestos

Abatidos, jogadores rubro-negros desembarcam no Rio aos gritos de ‘time sem vergonha’

Enviado Direto da Redação
Torcedores que foram ao aeroporto, ontem, xingaram o técnico Zé Ricardo e o meia Matheus Sávio

Torcedores que foram ao aeroporto, ontem, xingaram o técnico Zé Ricardo e o meia Matheus Sávio

Foto: Divulgação

Sob protestos da torcida rubro-negra, a delegação do Fla chegou ao Rio, na manhã de ontem. Os jogadores ouviram reclamações de torcedores ainda no embarque na Argentina e desembarcaram no Galeão aos gritos de “time sem vergonha”. O técnico Zé Ricardo e o jovem Matheus Sávio, de 20 anos, foram os principais alvos da manifestação. Os jogadores não falaram com a imprensa.

O clima esquentou quando a delegação tentava entrar no ônibus do clube. A polícia teve que fazer um cordão de isolamento, mas não houve agressões.

Único a falar com a imprensa, o presidente do Rubro-Negro, Eduardo Bandeira de Mello, garantiu permanência do técnico Zé Ricardo. Questionado sobre o prejuízo financeiro causado pela eliminação precoce, o mandatário afirmou que o principal problema não é esse.

“O principal prejuízo é emocional. Foi uma derrota muito sofrida”, disse Bandeira que não descartou reforços, mas deixou claro que isso não tem a ver com a nova derrota fora de casa. “Esta é uma avaliação permanente”, completou.

O Fla volta a campo amanhã, às 19h, contra do Atlético-GO, no Serra Dourada, pela 2ª rodada do Campeonato Brasileiro. Além desta competição nacional, o time ainda terá pela frente, em 2017, a sequência da Primeira Liga, a Copa do Brasil e a Copa Sul-Americana, torneio que disputará após ficar em terceiro lugar no seu grupo na Copa Libertadores, sendo eliminado.

Veja também