É pouco

Enviado Direto da Redação

Eis que o STJD julgou o Vasco pela confusão ocorrida no clássico contra o Flamengo. Perda de seis mandos de campo, mais uma multa de R$ 75 mil, além de manter a interdição do estádio até a o julgamento no pleno do tribunal. Pra mim continua pouco. Afinal de contas, quanto vale uma vida humana? O Vasco falhou em proteger seu torcedor. E um homem foi morto por causa disso. Seis jogos apenas?

Eu nunca vou defender o fechamento de São Januário. A história do Vasco se confunde com a história de seu estádio exatamente porque um só vive com o outro. Talvez algum dia o Vasco queira sair de lá para mandar seus jogos em outro lugar, mas até esse dia, São Janú será sempre o ‘caldeirão’. Mas infelizmente o clube precisa ser punido de forma mais enfática para que isso não aconteça mais.

Cenas de bárbarie não são mais comuns no futebol, exatamente porque todos os lados: clubes, torcedores, CBF, Justiça, Estado, todos, resolveram punir exemplarmente quem fazia besteira. Prendiam quem tinha que ser preso, proibia de ir ao estádio, era desfiliado da torcida, algum dos lados sempre tomou a atitude correta buscando dar mais segurança ao espetáculo.

Mas o que se vê agora é o presidente do clube culpando exclusivamente a polícia. Polícia essa, que se não cumpriu exemplarmente seu papel, conseguiu impedir um caos muito maior, uma torcida organizada que não se pronuncia a respeito de quem fez besteira, e agora um tribunal que minimiza todo o transtorno do dia, que culminou com a morte de alguém. Pra melhorar, é preciso mais.

Veja também