Coluna 'É Direito?' analisa: 'Quanto vale o seu voto?'

Texto selecionado por professores do Curso de Direito da Universidade Salgado de Oliveira

Enviado Direto da Redação

Foto: Divulgação


Atualmente, estamos vivendo a pior fase da história do país, no que tange a eficácia do Poder Público perante a sua administração e, com isto, não podemos deixar de retratar o importante papel do cidadão perante o ocorrido.


A legislação brasileira é bastante rígida neste aspecto, formada de normas e regras bem elaboradas, entretanto, a falta de fiscalização dessas normas faz com que a corrupção e tantos outros problemas se instalem no país de forma a ensejar uma afronta à legislação pátria.


Importante ressaltar que, como cidadãos, devemos sempre estar preparados para confrontar essas irregularidades. Diante das urnas, ao eleger um candidato, devemos levar em conta sua capacidade em governar e representar a população de forma coerente e eficaz.


Desta forma, não basta que somente tenhamos em mente uma melhoria em certas áreas, é preciso que tenhamos ciência e discernimento de que um país com tantas riquezas, na qualificação do Brasil, merece um governo justo, correto e, portanto, devemos estar preparados para votar consciente e com zelo, em respeito a todos os outros eleitores.


Como se evidencia, nosso papel é de extrema importância, cabendo a todos a responsabilidade de ofertar uma administração regular para o país, de modo que a corrupção se findará de maneira vasta, não sendo mais um dos maiores problemas que o país já enfrentou.


Assim, precisamos conhecer antes de eleger. Precisamos unir forças pela transparência nas urnas, não mais sendo “escravos” dos pequenos favores financeiros, pois é assim que se inicia todo o ciclo da corrupção e, para sair dele, custa muito.


O texto acima foi selecionado pelo professor do Curso de Direito da Universidade Salgado de Oliveira (Universo), Campus Niterói, na atividade REDAÇÃO JURÍDICA. Sua autora é a aluna JULIANA DE ALEMIDA FÉLIX, do 9º período.


Veja também