A lenda do Saci Pererê

Enviado Direto da Redação

O Brasil é um país de dimensões continentais. Nossa grandeza em extensão territorial possibilita a formação de várias tendências culturais do povo nas diversas regiões do país. O sotaque popular em cada região, a forma de vida, as crenças, os hábitos e costumes nos credenciam com uma diversidade cultural enorme. As lendas das regiões brasileiras são fantásticas.


Lendas são narrativas transmitidas pelas pessoas com o intuito de explicar acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais, misturando fatos reais com imaginários ou fantasiosos, que com o tempo modificam-se através do chamado imaginário popular. A lenda do saci é uma delas. Trata-se de um personagem brasileiro do folclore das regiões sudeste e sul do país, difundido também pela região norte do país.


O saci assemelha-se a um menino travesso, de cor negra, que possui apenas uma perna, usa uma carapuça ou gorro vermelho na cabeça e fica o tempo todo fumando cachimbo. Gosta de fazer traquinagens e assustar as pessoas, tendo por hábito correr atrás dos animais para afugentá-los. Adora montar em cavalos e dar nó em suas crinas. Pode também aparecer e desaparecer misteriosamente, sendo muito irrequieto e não para um instante sequer, pulando de um lugar para outro e, toda vez que apronta as suas travessuras, emite gargalhadas e risadas alegres e agudas.


Muitas das vezes, fica a assobiar, principalmente, quando não existem as noites de luar. Conta a lenda que ele pode aparecer de um redemoinho, sendo necessário atirar uma faca no redemoinho para que vá embora. Meu amigo, “Ademir Jesus”, personagem também folclórico da cidade de Maricá, conta a quem quiser ouvir que, em uma caçada à noite, na localidade de Espraiado, viu seus cachorros levarem uma “surra” de um saci. Diz ele: “Você não via nada, só os cachorros gritando, latindo e se rolando no mato, em total desespero. Era saci!”.


As lendas de um país inserem-se no que denominamos meio ambiente cultural. Muitas lendas permanecem no tempo, passando de geração a geração, sendo transmitidas e contadas pelo povo, enriquecendo a cultura e a história do país. “A HISTÓRIA É A VERDADE QUE SE FORMA. A LENDA É A FALSIDADE QUE SE ENCARNA.” (JEAN COCTEAU) – Preserve o meio ambiente –

Veja também