Especialistas dão dicas de como prevenir problemas de saúde bucal

Alimentação pode interferir

Enviado Direto da Redação
Segundo Gustavo Pientznauer, o período de visita ao dentista depende dos cuidados diários realizados pelos pacientes

Segundo Gustavo Pientznauer, o período de visita ao dentista depende dos cuidados diários realizados pelos pacientes

Foto: Luiz Nicolella

No Brasil, as pessoas costumam ir ao dentista apenas quando surge algum problema bucal aparente ou muita dor. A prova disso é que, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2013, 55% dos brasileiros não se consultam anualmente. A recomendação dos dentistas, no entanto, é de que as consultas sejam semestrais. 


De acordo com o dentista Gustavo Pientznauer, da Clínica Novadent, no Centro de São Gonçalo, o período de visita ao especialista depende das ações diárias do paciente. Segundo o especialista, se a pessoa mantiver boa escovação de, no mínimo, três vezes ao dia, usar o fio dental corretamente e completar com o uso de um enxaguante bucal, o risco de ter complicações é bem menor.  


"A boca é um dos principais meios de propagação de bactérias do corpo. Por isso é muito importante manter hábitos certos. A escova dentária deve ser trocada a cada um mês, e o creme dental utilizado deve conter flúor. Não é necessário colocar muita pasta, o tamanho de uma ervilha basta", explicou. 


Para o dentista, entre os problemas mais comuns que chegam aos consultórios estão: cárie, gengivite, periodontite e mau hálito. Porém, Gustavo ressalta que são de casos simples como esses, não tratado corretamente por um profissional, que doenças graves são desenvolvidas.


"Os pacientes que utilizam alguma prótese ficam ainda mais vulneráveis quando não são acompanhados por um profissional. O problema começa com uma ferida, depois vai piorando e, se não tratar, chega a casos extremos. É importante estar atento a qualquer alteração na boca, como sangramentos na gengiva, manchas nos dentes ou mudança no paladar", completou.


Alimentação interfere na proliferação de doenças


Segundo Rosane Menezes Faria, dentista da Caixa Seguradora Odonto, a cárie consiste na deterioração dos dentes, causada por bactérias que fermentam os resíduos de alimentos compostos de amido e carboidratos presentes na boca.


“O consumo elevado de açúcar é preocupante, pois ele está presente em diversos alimentos ‘queridos’ pelo paladar do brasileiro”, disse.


A gengivite acontece quando a placa bacteriana fica concentrada entre a base do dente e a gengiva, o que irrita o tecido e, consequentemente, provoca inflamação.


“Os principais sintomas são o inchaço, sensibilidade e sangramento da gengiva durante a escovação e o uso de fio dental”, disse a especialista.


Já na periodontite, a inflamação passa a atingir não apenas o tecido gengival, mas também a estrutura óssea que dá suporte aos dentes. Em estágios avançados, pode levar à perda dentária.


“O alongamento do dente e a alteração da cor do esmalte, do branco para um tom amarelado, também são fortes sinais do problema, que também pode surgir de forma silenciosa”, ressaltou Rosane.

Veja também